quarta-feira, janeiro 23, 2013

Viver na cidade é para meninos

Viver na cidade é para meninos.
O campo é que é de homem.

"Home"

Aqui sente-se a dureza das adversas adversidades e respectivas conjunções coordenativas adversativas.
"Desconversar"

Na noite da passada 6ª parou de chover.
Para mim tudo bem, mas para a maioria dos agricultores ainda não choveu numa quantidade satisfatória.
"Faz falta. Estas terras estão sequinhas."

Minutos depois levantou-se o vento com megalomanias adolescentes.
É o mal da globalização.
Agora qualquer vento de merda quer ser um furacão como na América. Alertas com cores apanleiradas e telejornais reality tv
Um fim do mundo novo a cada noticiario.
Um gajo agora vai fumar um cigarro à rua e está sujeito a apanhar com uma chapa de zinco pela mona.

Quando o sol nasceu na manhã de Sábado outra paisagem reinava.
Muros caídos, chaminés tombadas, estradas sujas, etc.
Pior só mesmo verificar que não havia electricidade. Bem insisti com o interruptor. Cheguei mesmo a conferir o "quadro".
- Porque é que chamam quadro aquilo? Nunca percebi.
Mas nada.
Nem rede de telemovel.
"E agora? Como é que eu faço?"
Não faço.

Os "chineses" lá nos devolveram a energia por volta das 11 da noite.
Obrigado por fazerem o vosso trabalho. É excelente poder voltar a contar com o vosso serviço carissimo que tão justamente pagamos.
Agradecer ainda às pessoas que se deixaram enganar e que têm religiosamente votado para viverem pior.

Cá estamos como antigamente.
À espera da nossa guerra independentista.
Em pleno retrocesso civilizacional.
(O caso é tão grave que o corrector ortografico nem reconhece a palavra civilizacional. Tem tracinhos vermelhos por baixo, como se me tivesse enganado a escrever a palavra)
Ela existe.
Tenho a certeza.
Por mais que queriam privatizar tudo, por mais que tentem manipular a memória da massa, haverá sempre quem se lembre.
Mesmo que todos se esqueçam haverá sempre quem a reinvente.

Continuo a aguardar a reposição completa da rede de comunicações moveis.
Parecendo que não faz falta.

Viver na cidade é para meninos.

quarta-feira, janeiro 16, 2013

Este país não é para velhos

Este país não é para velhos.
Nem para novos.
Não é para ninguém.

Ontem lesionei-me na coxa da perna direita.
Aqui estou.
Estendido e tapado num sofá branco a sofrer classicamente. Comprimidos, botija de água quente, creme analgésico, aquecedores ligados e no máximo.
Tudo porque estou a envelhecer.
Lesionei-me como um futebolista, e aleijei-me como um velho.
A unica coisa que fiz foi subir a um banco. Um "mocho" que já esteve em todas as casas e sobreviveu a todas as partilhas. Também ele branco e também ele idoso.
Mal fiz força, senti a picada aguda enfraquecer-me. Desequilibrando-me.
Como ontem de manhã ainda era novo, não liguei. Deixei-me andar e fiz tudo o que tinha planeado afincadamente.
À noite, muito jovialmente, fui jogar à bola com a rapaziada. Durei minutos. Poucos. Muito poucos.
Ao segundo toque de magia, voltou a dor. Lancinante.
Mais forte. Mais cortante.
Mal conseguia andar.

Dizem eles que é uma contractura muscular. Dizem que é do frio e que em menos de uma semana posso voltar a jogar.
Categoria veteranos.
Dizem que devo manter a perna quente e repousada. Massajar de vez em quando e quando a dor começar a abrandar, aconselham-me alongar para recuperar o movimento.
Não é nada de grave.

A menos que se tenha de passear o cão. De arrumar a casa. De coxear até à tasca para comprar tabaco. De subir e descer degraus. De trabalhar. De inventar e precisar do cerebro minimamente lucido.
Ao frio, à chuva e ao vento.

Bem sei que nada de especial.
Mas,
Sinto-me traído.
Humilhado pela minha condição.
Por não me conhecer.
Falhou a mente, o corpo e o instinto.
Falhou o que não devia ter falhado.

Um dia vão entender.

Um dia vais perceber que entre a dor e a lucidez fica tudo o que interessa.
Tudo o se quer depressa.
Acabarão os julgamentos as maldições e os bruxedos. Não existirão venenos nem antídotos.
Só medos, segredos, enredos.
Não há nada que te desfaça o tempo.
Sermos nós mesmos, envolve sempre mentira.

Esta é a verdade.

quinta-feira, janeiro 03, 2013

Feliz 2013

Boa tarde

Estou um pouco amachucado. Parece que acabei de sair da máquina de lavar.
Ainda não consegui tirar uns dias para recuperar do grande ano de 2012.
Foi um ano cheio, intenso e comprido.
Além das minhas actividades habituais, um livro (Ameaça Fofinha - Corpos Editora), um disco (Amor Terror - Lista Negra - Beibi/ Nmusic) e três telediscos (Defying Control - Time Changes e Dreams; Amor Terror - Isabel).
No estudio, produzi um disco e dois eps, para outros projectos que estrearão em breve.
Para promover Amor Terror uma série de concertos, showcases e entrevistas.
Nos intervalos ainda arranjei tempo para organizar um mini festival (Food Summer Music) e me estrear como professor.

As noites pareceram dias e os dias pareceram noites.
E não fiz mais porque não consegui. Por falta de dinheiro, de tempo, ou de vontade alheia.
Porque o meu país não me deixou.
Porque há sempre alguém que prefere o nada à dor, ao riso, ou à felicidade.

Mas o que se pode fazer?
É continuar.

Por agora tento descansar um pouco. Só um bocadinho.
Tenho tanto para fazer.
Já hoje.

Tenho de aguentar. Até este sol aquecer.

Resta-me agradecer a todas as pessoas que importam e que se importaram. Sem vocês nada disto se construía.
(Nem vou tentar fazer uma lista porque vocês são uns ciumentos do pior)
E já sabem. Da próxima vez que vier aquela ideia maluca, que nos deixa à beira da insanidade, quase impossível... Contem comigo!

Um desejo mais.
A todos um feliz ano novo de 2013.

PS - Quanto às encomendas do Ameaça Fofinha para dedicar. Apesar da editora ter assegurado o seu envio, ainda não recebi os livros. Fica o apelo ao vosso lado mais paciente. Assim que puder as obras serão reenviadas.
Duas notas mais. Quanto à versão fisica do Lista Negra. Já só temos metade de uma modesta caixa de cartão. Quem quiser ter um exemplar do primeiro disco de Amor Terror, (5€ mais portes via ctt) faça o favor de encomendar via email - amorterrorrock@gmail.com
Para finalizar devo ainda referir que o primeiro concerto do ano terá lugar no Centro Cultural do Cartaxo a 2 de Fevereiro, pelas 23h, com os convidados especiais Devaneio.
Os bilhetes estarão disponíveis em breve.

A Dieta - 5 - A Pesagem

IMC - 26,33 Sobrepeso Não me posso pesar todos os dias. Diz que torna a malta ansiosa e acho que a ansiedade engorda. Posso-me pe...