quarta-feira, maio 23, 2012

O gosto de Deus

Confesso que me agrada a confusão que a minha atitude espiritual deixa nos outros.
A duvida instala-se.
"Mas ele é crente ou não?"
"Será muçulmano?"
"Ou muçulmano ou budista. Ele tem a mania que é estrela. Ele é dessas coisas?"

Ninguém sabe.

A minha familia nunca teve uma militancia à organização.
Geneticamente nunca podia fazer parte de uma religião estruturada. Missas, horários, cuidados alimentares e penitencias afins... mas o que é que isso tem a ver com ser boa ou má pessoa?
(Duvida pilar existencial e metafisica da minha familia mais chegada - Tudo se resume a isto).

"Hum... ele é de Lisboa... filho da baixa burguesia de esquerda. Ele é evolucionista. Céptico. Ora ateu ora agnóstico. Sequer foi baptizado!"

Orgulhosamente não baptizado. Os meus pais tiveram a decencia de restringirem ao carnaval o periodo onde me podiam vestir ridiculamente. Alem disso a minha mãe sempre foi muito protectora e os padres sempre tiveram má fama.
Entenda-se que o ditado, "como picha em cu de padre" não veio do nada.

Ora quando a final da liga dos campeões terminou com a vitória do Chelsea FC, o jogador David Luiz ajoelhou-se apontando com os dois indicadores para o céu. Pouco depois festejava com uma t-shirt com a frase: Deus é fiel.

- Estes brasileiros! - exclamou o meu amigo - Mas quem é que disse que Deus queria que o Chelsea ganhasse?

Pensei. "Deus não se deve meter nestas coisas."
Aliás ninguém sabe ou soube, seja o que, for sobre preferencias divinas.
Estando, sendo e sabendo Deus tudo e mais alguma coisa, do infinito infindo sem fim, não me parece que seja divino ter preferências sobre um clube de futebol.
Posso estar errado, talvez em pecado, mas não estou a ver Deus nosso senhor a ver a bola no sofá feito de nuvens e um cachecol com a inscrição "Eu sou o Criador".
Deus não quer saber de futebol.
Ele já sabe quanto vai ficar o jogo, quem marca, quem vai ser expulso...

Deus é interpretativo. Só assim pode ser.
Imaginem saber o que Deus acha? Como seria a nossa vida se soubesse-mos o critério do julgamento divino?

Se Deus revelasses as suas escolhas seria um "ai Jesus".

sexta-feira, maio 11, 2012

Notas - Pessoa normal

Eu não sei se sou uma pessoa normal.

Nunca me disseram que era bom ser uma pessoa normal ou ter uma vida comum.
Apesar de tudo, a minha vida não foi normalizada. Tem-se escapado com mérito a todos os normalizantes ataques de normalidade.

Um facto é que descobri em extensas diligencias cientificas, é que o normal é impossível de achar.
O sacana é um ponto intermédio entre outros dois pontos desconhecidos, entre o bom e o mau.
Classica bipolaridade dogmática e religiosa.
Filosoficamente, é anormal achar o normal. Cientificamente também.
Então como se determina a normalidade comum? A vulgar, a democratica, a de todos, a do povo.

A conversa do normal está sujeita a noções tão vagas como a da própria normalidade. O senso comum, o bom senso, a intensidade do toque no momento da grande penalidade.
Merdas sem jeito nenhum.
Coisas de quem não faz ponta de corno.
Desculpas para justificar apatia.

A verdade é que as pessoas acham o que é normal por comparação. Simples e infantil exclusão de partes.
Como um cão.
Para a maioria o outro será sempre a referência. No outro se encontrará o todo e por ai fora.

E aqui a coisa complica-se para o meu lado.

Ora se eu nunca ajo por comparação, não consigo saber o que é normal através dos outros.
Muitas vezes tenho a sensação de que a massa está profundamente equivocada. Que não é raro que a maioria exista e funcione em prejuízo de si mesma.
Julgo que o estudo da História serve para provar isso mesmo.
Estas bases são alarmantes.
Asim, e utilizando as ferramentas generalistas, não consigo saber se sou um tipo imaginativo ou um gajo mentalmente instável. Se sou doido ou iluminado? Se posso ser estas coisas todas ao mesmo tempo? Se é normal ser-se nada disto?
Mais. Será que o sentido da palavra normal foi desvirtuado e ela já não significa o anteriormente pretendido?

O que é penoso é ter esta repressão normalizante em cima de mim.
Este constante meio gás.
Esta sensação de me estar sempre a refrear.
A inquietude angustiada de não dizer e fazer tudo, da forma natural.

Ora tal não é normal.
Pelo menos não para mim.

segunda-feira, maio 07, 2012

Uploading - Restam 3 horas

Parte do meu trabalho envolve fazer upload de ficheiros enormes cheios de enormidades.
Alguns megalómanos outros cheios de megalomania.
Alguns ou outros, no meu ecrã falta sempre algum tempo para poder estar em liberdade.
Não vá a ligação cair.
Não vá o diabo tece-las.
Não vá qualquer coisa.

Enquanto faço outra coisa qualquer, fico sempre a aguardar.

Chove desde manhã e tenho de ficar recolhido.
Aguardo de castigo.

A Dieta - 5 - A Pesagem

IMC - 26,33 Sobrepeso Não me posso pesar todos os dias. Diz que torna a malta ansiosa e acho que a ansiedade engorda. Posso-me pe...