segunda-feira, outubro 24, 2011

Actualização ou Update?

Actualização ou Update?

Tanto faz. Isso não interessa. Acabaram-se os regimes proteccionistas.
No futuro até pode deixar de existir língua Portuguesa. De acordo em acordo de tratado em tratado até não haver mais nada.
Então logo se formará uma "onda" de apoio patrocinada por um supermercado qualquer. Uma horda de apresentadores homossexuais dirão à populaça o que fazer. Para voltarem a ser portugueses, para voltarem a ter orgulho no nosso país.
Nos Lusíadas desta falsa modernidade, no final de cada canto, o herói está sempre moribundo.
Não sei quem anda a escrever esta merda, mas posso garantir que se torna um bocado chato assistir e participar isto. 

Mas hoje não vinha falar de vocês.

Vinha escrever sobre mim.
O blogue é meu e eu escrevo sobre o que eu quiser.

Estou só a variar.
Quem não quiser ler sobre mim, pode mudar de blogue. Deve mudar de blogue.
Isto é sempre sobre mim.
Ou então façam o vossa própria "arte" - Go Pseudo - Mostrem ao mundo as coisas que não têm para mostrar. Façam spam intelectual.
Isto é sempre sobre mim, e estou só a recuperar.

sexta-feira, outubro 14, 2011

Os teus poderes não valem nada

Ainda pensei ir para o papel, mas contigo, tudo é tão falsamente tecnológico.
Talvez já não tenho poderes para tanto.
Talvez te deixe no novo tempo por preguiça.
- Sabes que sou doutro tempo e que gosto disso -
Talvez queira demais e já não são horas de te incomodar.
Tu que tens tanto para recuperar.

Os teus poderes nada valem.
Estão uma confusão, como tu.
Como estás sempre.

Claro que para mim é excelente.
Não tem graça nenhuma rodopiar sozinho.

quinta-feira, outubro 13, 2011

É fácil


Ah o dilema da folha em branco.
Eu não tenho.
Não uso folhas em branco. Sou racista. Uso folhas negras e escrevo com tinta branca. Só porque devo contrariar.
Há quem contrarie a inteligência. Eu para isso não tenho paciência. Ela para mim é como se fosse uma religião.
Embora peque ocasionalmente.
Eu sou fácil.
Qualquer coisa serve de desculpa para riscar qualquer coisa.
Ainda para mais, toda a gente deve saber que a Portugalidade é carregada de exagero.
É fácil.

 

quarta-feira, outubro 05, 2011

Toda a gente sabe que o João Ratão morre no fim

Faltam 10 minutos.

Faltam nervos para derreter.
Estou mesmo a precisar de férias. Sair do que está assombrado.
Agora é proibido brigar.
Agora não vale matar zombies . Mas vale acordar com tiros às 6 da manhã.
Caça ao feriado. Podiam caçar um cérebro.
Preciso de sair daqui mais um pouco. Voltar à praia. Ver placas a passar. Ter um vidro entre a minha pessoa e o limite de velocidade.
Preciso de uma estrangeira. Alguém com quem seja mesmo muito difícil comunicar. Alguém que não me queira ouvir falar.

Faltam 4 minutos.

Dizer estilismo está fora de moda.
É como dizer teledisco.
É como dizer, aqui há talento.
Tudo fora de moda.

Está na moda estar fora de moda. Ser diferente forçando a diferença que não diferencia. Que tudo isto tem de diferente?
Nada.
Eu sou do tempo em que o fado era música para os velhos.
Ninguém queria ouvir rancho.
Ninguém dizia musica tradicional.
Havia vergonha na cara e sentido de ridículo. Mas havia mais. Havia um desprezo saudável pelas tradições. Um desejo de novo. Oh modernistas que só aparecem de 100 em 100 anos.

Há ainda quem queira estar vivo.
Quem goste de festas de anos e quem não deseje falar de música com qualquer pessoa.
Eu sei que pensas que percebes do assunto, mas vai por mim...
Nada percebes.

Faltam 2 minutos.

Falta-me ainda falar dos caloteiros.
Dos mal vestidos. Com a sua roupa da noite, penteados assexuados, racistas reformados, agora papás.
Dos militares e da sua inútil vontade. Tudo esquecem com o avançar da idade.
Dos tarados. Se pudessem desenhavam eles. Faziam eles.
Quem quer casar com a puta da carochinha? Divorciada e drunfada. Que já não fode. Quem tem um cu enorme. Quem tem pouco mais que fome. Tem uma televisão. A pobre que entra para o duche de cuecas. Que tem um saco de plástico de cada supermercado. Quem tem um amante.
A reles tem um amante.
Que tem filhos mal educados. Feios e com aspecto sujo. Como os italianos, os franceses, ingleses e
alemães. Feios como tudo. Pérfidos.
Toda a gente sabe que não vai ser bonito.

Já não falta nada.

Toda a gente sabe que o João Ratão morre no fim.

A Dieta - 5 - A Pesagem

IMC - 26,33 Sobrepeso Não me posso pesar todos os dias. Diz que torna a malta ansiosa e acho que a ansiedade engorda. Posso-me pe...