Mensagens

A mostrar mensagens de Agosto, 2011

Um cão de caça chamado Chérie

O mal é que sou preguiçoso e deixo a camera em casa vezes a mais.

Basta me sentar numa esplanada. Começar uma qualquer conversa e ser absorvido pela dinâmica de um grupo de caçadores.
Rudes como a palha.
Brutos que "nim casas".
Usam aquelas camisas onde as famílias costumam fazer picnics. Usam minis e pouco mais.

Deram nas vistas porque falavam alto. Interrompiam-se numa animada conversa sobre o olho que usam para fazer mira.
- Há gajos que fazim o mira cuns dois olhes. Eu na percebe nada disse, mas eh na sê... come é queles fazim? Eh mude d'olho e acerto ai uns 20cm ao lade.
(De uma vez por todas - Mira é um substantivo feminino.)
- És esquerdo ou és direite?
- Na sê eu ponhe assim - diz exemplificando com os braços.
- Atão és direite. Se fosses esquerdo punhas assim - explica da mesma forma.
(Destro ou canhoto)
Mas tudo isto, apesar de rude, apenas se debruçava sobre o tiro aos pratos , esse desporto tão exigente como o bowling.
(Boliche para a malta que vive na Cost…

3 porquitchonas e uma praia sem areia

Este verão tem sido ridículo.

Todos os Verões são
Ridículos.
Não seriam Verões se não fossem
Ridículos.

Realmente ridículo. Houve apenas um real dia de verão com noite a condizer. Calhou a uma quinta feira, aproveitada para uma ida à praia com membros da máfia.
Mafiosamente chegamos. Mafiosamente nos instalamos com estilo.
Estava bastante gente e a praia pareceu-nos mais pequena. Com menos areia.
Seguramente com menos areia.

Já se começava a cuidar das nossas praias.

De repente juntam-se à nossa vizinhança duas porquitchonas. Daquelas meio tortas. Das que passam tempo a mais dobradas. Das que se despem com o olhar no horizonte, em camera lenta.
- Hummm - pensei - Já não vão para novas. A pele está comida pelo sol e pelo tabaco. Rugas no canto da boca. Cabelos pintados. Certamente já foram de muitas cores diferentes.
Tipo politico português.
Com alguma dificuldade plantam o chapéu de sol e algo falta.
- Olha desculpa - Diz a loura. E continua - Boa tarde. Nós vamos só ali ao café e v…

Procura-se Fábio Gabriel

Procura-se este cabrão.
Fábio Gabriel.
Não é um cantor de música popular sequer o novo jogador de um clube pobrezinho da segunda divisão. Também não é ciclista ou cabo de uns forcados quaisquer.
Este é doutor. Trabalha para os chulos da tmn. Sozinho afastou-me deste blogue e de outros negócios. Estou há meses a tentar resolver os meus problemas com os imbecis da tmn.
Aquilo é um circo e eu odeio circos.
Apenas não publico aqui as dezenas de e-mails que trocamos, porque alem de extensos, a estupidez apenas deve ficar nos livros de história. Convém proibir a propaganda. Existe gente que acha graça a tudo.
Se duvidam do que digo, façam o favor de se dirigir à janela mais próxima.
Quanto ao Fábio Gabriel... esse atrasado mental... Apenas lhe desejo que continue por muitos e bons anos a trabalhar na mesma empresa.
Se alguém o encontrar, façam o favor de lhe dar o recado.

- Até esta data, a empresa em questão ainda não solucionou os inconvenientes que causou. Apelo a todos. Se tiverem op…

O Verão esquizofrénico e a sua amiga Filomena Estupidez

Era uma vez um Verão esquizofrénico que vivia sozinho na memoria de todos.
Este Verão era pobre e previsível como as pessoas que têm falsos projectos.
Este Verão não o era.
Ninguém gostava dele.
Para os outros Verões, eles tinha vento a mais nas costas e borbulhas cheias de pus intelectual. Também os seus professores achavam que os os país deste petiz, nunca o desejaram.

"São tão maus pais como os demais. Assistimos a uma pobre era."

Realmente aquele Verão de 2011 era um coitado.
Um baralho de coisas mimadas. Um conjunto de modas tortas. Mascaras em 2ª mão made in china. Vidas vendidas ao desbarato.
Pobre Verão.
Não parecia longo à primeira vista. Não tinha calor para suficiente para a vinha. Numa fotografia não ficaria muito diferente do seu irmão mais velho. Tem coisas a mais e conteúdos a menos.
É como a maior parte dos putos de hoje em dia. Têm a mania que dizem coisas com graça, mas são apenas parvos.

Também isto é triste.

O pequeno Verão sentia-se deprimido. Conse…