Mensagens

A mostrar mensagens de Julho, 2010

Um poeta de quadras para manjericos - parte III

"A minha filha joga futsal. O meu miúdo já fez três workshops de Salsa. E depois é o preto de carapinha loura, que não é natural."

Quando acontece é lixado

Acontecer (ê)
v. intr.
Suceder inesperadamente (o que não se tinha previsto ou já se previra).
verbo unipessoal

Quando acontece é lixado.
Quando a única explicação é o acaso, o destino, o fado, o fatal... é muito doloroso.
A mim interessa-me este lado do oculto. Justificar o insjutificável. A facilidade como nos escapa da boca, "aconteceu". Mesmo quando estamos a mentir. Encolhemos os ombros preguiçosamente, e desviamos as restantes perguntas como um catavento num dia de vendaval.
Isto está enraizado. É como o "foda-se". Serve para tudo.
- Então, bateste com o carro?
- Pois foi. Aconteceu.
(Factos como, estar bêbado, conduzir em excesso de velocidade, distraído e cansado, são irrelevantes)
- O sr Presidente de Junta tentou apropriar-se de património alheio, com a finalidade de o vender e receber dividendos desse crime?
- O sr Juiz vai-me desculpar, mas é uma oportunidade de negócio para objectos sem uso. Acontece.
(Corrupção, fraude, tráfico de influências, abuso de poder. …

No dia mais quente do ano - O Mundo que se prepare...

Assim não vale. Ainda vamos todos presos

Ontem estava a ver televisão e um reclame ao Danone Spiderman, despertou-me o instinto.
Peguei no meu notebook e escrevi: "O Danone Spiderman, sabe a quê?"
Continuei divagando pelas variàveis da questão:
- Sabe a Homem?
Os meninos mais sensiveis e habituados a tios que andam sempre com chupa-chupas, são um nicho de mercado como outro qualquer.
- Sabe a aranha?
Quem é que quer comer uma aranha? E mesmo quem estiver habituado às gastronomias asiàticas, facilmente apanha uma aranha. Não é preciso pagar.
- O iogurte tem super poderes?
Isso dava jeito... mas mesmo assim, um iogurte não é uma poção mágica. E mesmo que fosse, quantas embalagens teriamos de comer para o sentido aranha disparar, ou, para ter a força e agilidade de Peter Parker?
Fui investigar.
Mal chego ao google, descubro que o Danone Spiderman não é o unico iogurte esquisito do mercado. Sequer o meu favorito.
Peguei no meu notebook voltei a escrever: "O Danone Hannah Montana, sabe a quê?"

Bom fim de semana!


in http…

Um poeta de quadras para manjericos - parte II

"Fico doido. Em Inglaterra nasceu uma menina branca e loura, filha de pais nigerianos. Não é albinismo e o casal já tem dois filhos pretinhos. Gostava de falar com o pai e perguntar-lhe se ele é estúpido!"

Tsubasa goal

É sempre engraçado quando revemos os desenhos animados da nossa infância.
Fico sempre com uma sensação agridoce. Vejo, mas já não vibro. Já não estou ansiosamente colado ao ecrã para ver o resultado... aliàs... eu já sei o resultado.
Ultimamente reencontrei-me com o Tsubasa.
Houve um génio qualquer da rtp - daqueles que andam para lá ao pontapé - que resolveu aproveitar o embalo do mundial e colocou na grelha da rtp2 a série Oliver e Benji. Capitan Tsubasa (como se diz pelo estrangeiro). Detalhe. Duas vezes por dia. Segundo detalhe. À hora do almoço e à hora do jantar. Ou seja, já vi o Oliver, o Benji Price, Mark Landers, Toby Misaki, o Julian Ross e o seu problema de coração, o remate falcão do outro apanleirado, o Roberto, etc.
Realmente é um animé fantástico. É engraçadissimo ver futebol assim. Grandes golos, jogadas impossíveis e pseudo fintas. O jogo é animado e como em Inglaterra, ninguém sabe defender. Aparecem sempre sozinhos, ninguém marca o homem, é raro ver um cartão amarelo. …

Um poeta de quadras para manjericos

Imagem
" Ir ao Avante? Nunca. Já estive 3 dias sem cagar e jurei para nunca mais! "

Game, set and match

Imagem
Viver no campo tem destas coisas.
Repentinamente deixamos a alienação tecnológica e o mundo sedentário para nos dedicarmos ao nosso bem estar. Até eu voltei ao desporto. Tenho disponível uma bicicleta para passear, e para dar uns saltinhos. Infelizmente esta actividade dá-se mal com os meus órgãos genitais.
Assim, sempre que tenho companhia, volto ao meu amor antigo: o ténis
Ainda hoje estive 4 horas, com alguns dos meus melhores amigos, em emocionantes partidas. Federer & Nadal vs Sampras & Agassi.
Este desporto em ambiente rural tem as suas nuances.
Desde já ninguém paga o aluguer do espaço. As freguesias, autarquias, e gatunos afins, têm de "fazer coisas para a juventude". Toda a terrinha, mesmo sem crianças há 30 anos, têm uma infraestrutura desportiva para servir a população. Mas há mais.
Existe um silêncio fantástico. Ideal para a concentração. O court chama-se "campo". "Volar" corresponde a servir. Ninguém sabe os nomes das diferentes pancada…

Ontem fiz amor com uma vampira. Tenho a cama cheia de sangue!

'Tou com uma dor de costas terrível. Passo a explicar...
Eu vivo afastado da população. Praticamente no meio dos bichos. Osgas, sapos, ouriços... até galinhas. Espécies selvagens. De tudo um pouco é avistado nesta zona. Uma coisa que se encontra por aqui com alguma frequência são vampiros. Existem muitos ratinhos do campo, por vezes até uma cabra ou outra, e têm sempre reboques de tractores para descansar um pouco, quando o cansaço chega.
Os locais estão habituados à vampiragem. Toda a gente tem um crucifixo em casa e como à noite dá a telenovela, ninguém se cruza assim muito com os sugadores de sangue. Estes últimos também não morrem de amores pelos camponeses. Não gostam do cheiro. Muitos vampiros migraram para o campo vindos da cidade, e são um pouco snobs com os aldeões. "Viemos pela natureza, pela paz de espírito, pelo sossego, e estas bestas só querem eucalipto, milho transgénico e motos 4. E aquelas rosáceas... Vê-se bem que só bebem vinho de merda."
Eu estou um po…

O ano da morte de Saramago

Fazer retrospectivas no final do ano, é coisa de bailarino.
Eu faço-o numa altura diferente. Em Julho. Um dos meses mais parvos. O mês onde mais se finge trabalhar. O sétimo mês marca um dos pontos mais importantes do ano: A pré-época do Benfica.
Sei que doravante terei o meu tempo condicionado. Também eu estou em estágio para conseguir aguentar a extensa e penosa temporada futebolistica. Sei ainda que depois das férias de verão, entramos nas depressões, nas filas do desemprego, nos novos programas da tarde.
Assim enquanto espero que fique menos calor para aproveitar o meu verão, entretenho-me a fazer balanços sobre o ano.
Era isso ou andar pelas feiras medievais a brincar com outros adultos, cheios de cabedal e espadas. Tal e qual como numa música de Manowar. Descobri ainda, que existia um festival erótico medieval, onde podemos ver o João Cabeleira (dos Xutos e Pontapés) em cima de um cavalo. Tudo com silicone e fios dental q.b. Varões, brasileiras manhosas, espanholas manhosas, malta d…

A internet dos outros

A Internet dos outros é sempre melhor que a minha. É histórico. Desde o tempo dos 56k que não estou em igualdade com outro utilizador qualquer.
A banda larga apenas me aumentou as contas de telefone. Passei a gastar tempo e dinheiro a reclamar, a renegociar, a pedir informações. Gritei com uma série de operadores de callcenter - essa raça feliz, com aquele brilho nos olhos - tendo recebido em casa um número exagerado de estafetas, técnicos de instalação, entre outros.
Assim não foi com surpresa que mesmo antes de utilizar a nova banda larga tmn, consegui fazer duas reclamações e passar 1h ao telefone a descompor os iluminados que contactam com o publico. "Como se chama?", "Como posso reclamar?", "Quanto tempo vai demorar?", "E o que é que eu tenho a haver com isso?"
Logo pensei. "Tive sapo adsl (em duas casas), netcabo, meo, vodafone, tmn e nenhuma delas funcionou normalmente." Mas os cabrões têm dinheiro para sustentar agências de publi…