quarta-feira, janeiro 20, 2010

Não há culturas feias

Confesso que me sobressalta esta necessidade das pessoas conhecerem "novas culturas".
Para uma pessoa insegura como eu, a hipótese de levar uma tampa da "nova cultura" é aterrorizadora. Prefiro que a "nova cultura" me queira conhecer a mim. Quebra-se o gelo muito mais facilmente. Também existe outro facto que acho abusivo. Ninguém pergunta à "nova cultura" se quer ser conhecida. Esta descoberta pode ser uma violação de privacidade com consequencias muito graves. Violentas até. Esta mania que temos de ambicionar a mulher do vizinho deixa-me melindrante. Não é coisa correcta. Estar sedento de conhecer e experienciar a "nova cultura", é como levar uma adolescente para casa. Um corpinho rijo e hormonas revolucionárias tendem ser derrubados por muito pouco conteúdo. É o que se passa com a maioria das "novas culturas". Não estão maduras. São sobrevalorizadissimas e brevemente envelhecerão para uma "média cultura", cheia operações plásticas. Alem disso temos de cuidar da nossa "velha cultura". É a cultura que tento conhecer há anos. Cheira-me que nem cheguei a metade do livro. É a cultura que está num lar de 3ª idade, sempre à espera da nossa visita, votada ao abandono, cheia de rugas, fraldas e cadeiras de rodas. Tudo porque preferimos ir ao "shopping center" ao Domingo, comprar um viagem para conhecer uma cultura mais nova. Puro turismo sexual. Continuamos superficiais, mas cheios de feridas profundas.

A Dieta - 5 - A Pesagem

IMC - 26,33 Sobrepeso Não me posso pesar todos os dias. Diz que torna a malta ansiosa e acho que a ansiedade engorda. Posso-me pe...