quarta-feira, dezembro 16, 2009

Troca de Prendas

Chegou um dos pontos altos do mês de Dezembro.
A troca de prendas.

Não sei qual é a origem do fenómeno, e não sei que o importou. - Isto de gastar dinheiro com os outros não pode ser ideia nossa - Apenas noto que os Chineses fazem um dinheirão com as bugigangas contrafeitas que vendem nesta época.
Ah pois.
Por exemplo. Numa empresa este é o tempo de sondar todas as relações humanas e hierárquicas.
Quando a mamalhuda das relações públicas oferece um set de fichas de poker ao informático, todos os colegas sabem que está a gozar com ele. ”O que é que ele vai fazer com aquilo agora? Ele não tem amigos. Só se jogar cartas sozinho”. O que eles desconhecem é que no dia seguinte, vão receber no e-mail, um vídeo cheio de fluidos que explica a meteórica ascensão da menina na empresa.
Talentos escondidos.
É tempo do graxista ignorar o plafon estabelecido democraticamente e, mimar o chefe com aquele taco de golfe estupidamente caro.
Chegou-se ao momento sublime, onde adoramos os nossos colegas e dizemos obrigado com um sorriso tão cínico quanto hipócrita.
“Amiguinhos secretos… sim, sim… Para a próxima quando me roubares um trabalho, levas mais murraça que beijinhos em pequenino. Até ficas a escutar o grilo. Mijo-te para cima, seu cabrão.”
Mas… pode ser a oportunidade de impressionar a miúda gira. Se existirem unhas. “Transformar entediantes noites frias em tatuagens de alma.”
Soa bem, mas só para profissionais. Para quem pode e não para quem quer.

Resumindo. Se nada te interessar, passa pelo dia com sobriedade. Lembras-te daquele CD da fase decadente de Sérgio Godinho que a tua tia hippy te ofereceu no aniversário? A tua colega que passa a vida numa tasca do bairro alto vai adorar.

Boas festas coleguinhas.

terça-feira, dezembro 15, 2009

Os teus pais que te aturem... é Domingo

Um Domingo destes, vais dar por ti a olhar para olhar para a televisão numa posição estranhíssima.

Chegou a idade adulta.

Sim, ela chegará. De um dia para o outro tens 10kg a mais, crescem pêlos em locais recônditos e sempre que podes, andas nu da cintura para baixo.
Os putos começam a parecer todos iguais, cheios de penteados e de vestimentas andróginas.

Agora compreendo a geração antecessora. É triste ver o resultado das nossas lutas.

Se chegas aqui neste estado, imagina o futuro. Olha para os miúdos.
Parece que estiveram a brigar com um gato durante os saldos de uma loja espanhola qualquer. Todos muito lindos, com a sua mini vida sexual, cheia de lugares comuns e bandeiras vermelhas na mão.
Sim porque eles têm ideologias e ideias sociais, cheias de soluções, iguais às nossas.
Eles fazem-me viver os anos 80 duas vezes: Crise económica, gente mal vestida e cançonetas pop de merda.
Eles são irreverentes ao ponto de manter todas as tradições.
Eles têm moral, mas não têm valores.
Eles têm pais incompetentes, muito piores que os nossos.

É cíclico. Um dia voltarão os modernos e os poetas. Regressará o valor do conteúdo. A essência será mais forte que o acessório. Talvez até, voltar a saber as letras das canções… Ou talvez não…

Um Domingo destes, vais reparar que não te lembras do fim-de-semana e que estás melhor que nunca.
Chegou a idade adulta. É tempo de aprender ainda mais.

Sinto-me bem na minha idade.
Sou obrigado a isso.

quarta-feira, dezembro 09, 2009

O Rolls-Royce é o Rolls-Royce dos... Rolls-Royce?

Sinto-me um investigador barbudo, no principio do século XX...
Não é uma fobia sequer uma impressão.
Está documentado, provado, testado por método científico.
Chamar-lhe-ei: Síndroma de Kurt Cobain.

Num mundo onde neurologistas, psicólogos e psiquiatras enriquecem porcamente, tambem eu quero o meu quinhão. Tendo nenhuma capacidade para desenvolver um psicotrópico realmente curtido, aproveitei o vazio deixado pela educação de milhões de pais - pobres trabalhadores de classe média enfraquecida, confinados à tirania dos juros - que desconhecem que todas as maleitas psicossomáticas se curam com trabalho.

Posto isto e "morram os charlatões, morram pim", há que olhar com atenção para o fenómeno das pessoas que não festejam o seu aniversário.

Mas porquê? A única data anual onde podemos celebrar e prestar tributo à nossa vida, ao nosso nascimento. Reunir familia e amigos, contar embaraçosas e repetitivas histórias. Um dia com doces e bebidas caras. Soa bem.
Mas porquê? Não é bom enaltecer a individualidade, a personalidade, a passagem do tempo. Se as bebidas forem mesmo caras, até se pode chegar a uma discussão das densas.
Descartar tamanha data faz-me confusão...
Fazem-me lembrar camisas de flanela cheias de pseudo crises existenciais, borbulhas e cabelos oleosos.
É menos um jantar de anos por ano. E como anseio em comer tão secas febras de porco grelhadas, carregadas de temperos manhosos.

Vamos ser realistas, Kurt Cobain foi o Rolls-Royce dos grandes "freaks". Mais drogado que o Jim Morrisom. Escrevia canções duas vezes mais deprimentes que Jeff Buckley e, muito honestamente, se a Yoko Ono se envolvesse numa briga com a Courtney Love, a japonesa magrinha não durava dois minutos. O Lennon perdia este duelo.

Cheguei a esta descoberta por causa de um amigo meu. Conheço-o há muito tempo e faz-me confusão ele sofrer deste mal... ser tão "puto"...
Parabens Miguel.

A Dieta - 5 - A Pesagem

IMC - 26,33 Sobrepeso Não me posso pesar todos os dias. Diz que torna a malta ansiosa e acho que a ansiedade engorda. Posso-me pe...